O QUE É UM DINOSSAURO?


Durante a existência de nosso planeta, muitos animais diferentes já surgiram, viveram e se extinguiram. Muitos deles eram gigantescos e ameaçadores, mas nem por isso eram dinossauros.
Temos cinco regras simples para identificar se um animal era ou não um dinossauro:
Regra 1) Os dinossauros eram répteis.
Pode-se reconhecer um animal como sendo um réptil pela sua pele recoberta por escamas e por gerarem filhotes através de ovos com cascas duras.
É bem verdade que apenas alguns poucos fósseis foram encontrados apresentando vestígios de sua pele e que são também muito poucos os ovos e embriões achados que foram identificados como sendo da mesma espécie de outros fósseis de animais adultos, mas mesmo assim este critério é bastante útil pois separa-os dos mamíferos (corpo coberto de pelo), das aves (cobertas por penas) e de anfíbios (que colocam ovos de casca mole).
Regra 2) Todos os dinossauros eram animais terrestres.
Existiram muitos répteis estranhos no passado. Alguns deles viveram no mar, como os ictiossauros e os plessiossauros, enquanto outros, os pterossauros, dominavam os ares, entretanto não eram dinossauros e a ciência os classifica à parte.
Regra 3) Os dinossauros viveram durante o Mesozóico (248 a 65 milhões de anos atrás).
Ninguém pode ver um dinossauro vivo. Todos eles se extinguiram muito tempo antes de nossos mais remotos antepassados surgirem.
Nos os conhecemos através de fósseis que foram encontrados em rochas que datam desde 220 milhões de anos atrás (fim do período Triássico) até 65 milhões de ano atrás (fim do período Cretáceo).
Assim, sabe-se que a era dos dinossauros durou aproximadamente 155 milhões de anos e que se um fóssil for encontrado em rochas que se formaram antes ou depois deste intervalo, muito provavelmente não será de um dino.
Regra 4) Os dinossauros tinham as pernas em forma de colunas.
Ao observarmos um jacaré andando, vemos seus membros anteriores e posteriores se movendo lateralmente em relação ao seu corpo. Outros répteis tem seus membros dispostos em ângulo com o solo, mas sempre encaixados na lateral do corpo.
Em um dinossauro, os membros estão montados sempre na vertical, como se fosse uma coluna, o que diminui o esforço dele para se manter em pé e também possibilita passos e velocidades maiores.
Este arranjo é único entre os répteis e é também muito similar ao das aves e mamíferos, tanto que cientistas, artistas e técnicos de efeitos especiais freqüentemente estudam a anatomia e o movimento deles para recriarem dinossauros em museus e nos cinemas.
Regra 5) Tamanho não é documento.
Existiram dinossauros enormes como os grandes saurópodes ( o Seismossauro de 36m de comprimento e 50 toneladas de peso, por exemplo), mas também existiram alguns muito pequenos. O Compsognathus longipes, por exemplo, era do tamanho de uma galinha e pesava menos de um quilo, mesmo quando adulto.
Assim, pode-se concluir que não é o tamanho que define o que é um dinossauro.

Tiranossauro Rex

Tiranossauro Rex
Significado do nome: Rei dos Tiranos

Braquiossauro (Largato, Braço)

O Braquiossauro cujo nome significa "lagarto braço", dado os seus membros anteriores ("braços") serem maiores que os posteriores, era um género de dinossauro saurópode que viveu durante o fim do período Jurássico.O primeiro braquiossauro foi descoberto em 1900 no Colorado, EUA, mas também viveu na área onde se localiza hoje a Argélia e a Tunísia, há aproximadamente 144 milhões de anos atrás, durante o período Jurássico. Esse animal provavelmente não poderia erguer-se nas patas traseiras como mostra o filme "Jurassic Park", pois elas eram mais curtas que as dianteiras. Mesmo assim sua altura lhe permitia, sem esforço, comer as copas das árvores, sua atividade principal.O braquiossauro passava a maior parte do dia comendo folhas de suas árvores prediletas como as coníferas (um tipo de pinheiros), cicadáceas e ginkgoáceas. As estimativas mais recentes, baseadas em modelos reconstruídos com ossos e musculatura calculada, situam o seu peso entre 32 toneladas (Gregory Paul 1988) a 37 toneladas (Christiansen 1997). Durante muito tempo julgou-se ser este o maior dinossauro a ter existido. Porém sabe-se agora que vários titanossauros (o argentinossauro, por exemplo) eram maiores que o braquiossauro. Recentemente foi descoberto um outro brachiosaurideo, o sauroposeidon, que provavelmente também era maior que o braquiossauro.Calcula-se que, para abastecer seu corpanzil, comia mais ou menos 2 toneladas de plantas por dia. Apesar do grande peso, podia desenvolver uma velocidade de aproximadamente 20 km/h. Com certeza a terra devia tremer.Como as narinas desse enorme saurópode ficavam no alto da cabeça, muitos cientistas acreditavam que ele vivia na água, comendo plantas aquáticas no fundo de lagos e rios. Nesse caso seu corpo ficaria debaixo da água e de vez em quando aparecia a pequena cabeça com as narinas através das quais ele respirava. Mas essa teoria foi superada, pois sabe-se que seus pulmões não teriam suportado a pressão da água.

Dados do Dinossauro:Nome Científico: Brachiossaurus brancai, Brachiosaurus altithoraxÉpoca em que Viveu: JurássicoLocal onde viveu: América do Norte e ÁfricaPeso: Cerca de 90 toneladasTamanho: 25 metros de comprimento e 15 metros de altura Alimentação: HerbívoraReino: Animalia Filo: Chordata Classe: Reptilia Superordem: Dinosauria Ordem: Saurischia Subordem: Sauropoda Família: BrachiosauridaeGénero: Brachiosaurus

Braquiossauros

Braquiossauros

Cauda dos Dinossauros

Todos os dinossauros tinham longas caudas. Mas a maneira com a qual eles as utilizavam variava de acordo com a espécie. Então, qual o papel das caudas na vida dos dinossauros?
Em primeiro lugar devemos responder uma questão importante: qual a real posição da cauda dos dinos?
Elas eram arrastadas pelo chão ou ficavam erguidas no ar? Durante anos os dinossauros foram representados com suas enormes caudas sendo pesadamente arrastadas pelo solo.
O modelo de Joseph Leidy, como é conhecido, dominou o cenário paleontológico durante décadas.
Nós nos acostumamos a ver os enormes T-Rex andando em pé, quase eretos, imponentes. Mas pesquisas recentes confirmam que essa imagem estava completamente errada.
Analisando suas vértebras e o encaixe dos ossos dos membros os cientistas perceberam que essa posição seria muito desconfortável para os animais e, provavelmente, provocaria lesões sérias em sua coluna.
Além disso, se analisarmos seus rastros de pegadas fossilizadas, poderemos notar que em nenhuma delas existem marcas ou sulcos que indiquem enormes e pesadas caudas sendo arrastadas. Em todos os casos, apenas as pegadas foram confirmadas.
Assim o modelo hoje mais aceito é o de dinossauros movendo-se com caudas quase retas, pairando no ar. No caso dos bípedes, a espinha ficava quase que paralela à linha do solo, fazendo com que os animais caminhassem como enormes pássaros.
Para esses animais as caudas funcionavam como um instrumento de equilíbrio, permitindo aos mesmos caminhar ou correr sem temer uma queda de frente no chão. O comprimento das caudas era de tal modo proporcional ao peso na frente dos quadris, de maneira que o centro de gravidade ficassem num ponto que equilibrava perfeitamente a metade anterior e a posterior.
Nos dinossauros raptores, conhecidos por desenvolver grandes velocidades, a cauda possuía filetes ósseos que a tornavam muito rígida.
Para esses animais a cauda era como um leme, permitindo a eles mudarem rapidamente de direção caso fosse necessário.

Estegosaurus

Estegosaurus

Elasmosaurus

O Elasmosaurus não era um dinossauro, mas sim, um réptil marinho do grupo dos plesiossauros. O seu aspecto poderia ser descrito como o de uma gigantesca serpente unida ao corpo de uma tartaruga marinha. Nadava com quatro extremidades transformadas em barbatanas. Usava o pescoço, cujo comprimento era maior do que todo o retsnate do corpo, como um laço para "segurar"as presas junto à sua pequena cabeça. Sem se darem conta, as vítimas ficavam entre seus dentes pontiagudos. Este gigantesco plesiossauro chegava a medir 15 m de comprimento, dos quais mais da metade correspondiam ao pescoço. O pescoço do Elasmosaurus era mais comprido do que o corpo e a cauda juntos e terminava numa cabeça pequena, com numerosos dentes muito afiados. O corpo era largo e achatado. As extremidades ou patas se transformavam em barbatanas natatórias que lhe permitiam viver em ambiente aquático. No entanto, este réptil marinho precisava tirar a cabeça da água de vez em quando para respirar, porque na realidade não era um peixe. Flutuar era actividade muito fácil, mas mergulhar nem tanto, porque necessitava de base firme para poder nadar debaixo de água. A isso se deve o fato de engolir pedras, armazenando-as no estômago. Sua cauda era curta e só utilizada como leme, enquanto sua cabeça pequena possuía olhos grandes, o que se prova que eram dotados de uma visão apurada que lhe permitia ver em águas turvas. O pescoço do Elasmosaurus era exageradamente comprido, como também era o número de vértebras que o sustentavam: mais de 50, o recorde absoluto de todos os vertebrados conhecidos. Este número faz contraste com as 8 vértebras cervicais de outro animal de pescoço também muito comprido: a girafa. O traço mais característico do esqueleto de um Elasmosaurus era esse gigante pescoço constituído por tantas vértebras cervicais.Também se destacavam os ossos da parte inferior do esqueleto, que protegiam a cavidade ventral. Supõe-se que eles tinham a função de ajudar a sustentar o peso do corpo, quando se deslocava em meio terrestre para descansar ou para por os ovos. Veja na figura abaixo, ao fundo, um Elasmosaurus. Ele está atrás do Mosasaurus. As extremidades se convertiam em barbatanas e tanto as anteriores como as posteriores tinham igual potência. Funcionavam como as barbatanas das tartarugas ou as asas dos pinguins. É provável que este animal as utilizasse alternadamente: quando batia as da frente, adiantava as de trás, e vice-versa.
FICHA DO DINOSSAURO:
NOME: Elasmosaurus
TAMANHO: Até 15m de comprimento
ALIMENTAÇÃO: Peixes grandes e carne de outros dinossauros (voadores ou até mesmo terrestres)
QUANDO VIVEU: Entre 85 e 65 milhões de anos atrás, período Cretáceo

Elasmosaurus

Elasmosaurus

Dinossauros Voadores


Ao mesmo tempo que os dinossauros deixavam suas pegadas no solo e os répteis nadadores vagavam nos mares, répteis voadores cruzavam os ares sem parar. Com os mais variados tamanhos e formas, os pterossauros marcaram a presença na história da evolução como parentes distantes dos dinossauros. Alguns eram pequenos como araras, enquanto ouros ganhavam dimensões impressionantes, com asas do tamanho de um otocarros. O nome pterossauro, aliás, significa "lagarto com asas". Depois de estudar demoradamente alguns ossos de pterossauros, os cientistas concordaram: eles só podiam ter sidos animais voadores, pois notaram que os ossos eram finos e ocos.Se hoje observarmos na natureza animais mais semelhante a dinossauros, veremos que estes animais são os pássaros. Os primeiros pássaros surgiram no período Jurássico, e vivem até hoje. Dentre estes pássaros antigos , está dentro o Archeopteryx, uma da principais descobertas do género. Este pássaro primitivo, era quase igual em aparência aos modernos, com excepção de alguns factores, como os dentes, o tamanho e alguns hábitos.Os dentes do Archeopteryx e de muitos outros pássaros primitivos, como o Hesperornis (comedor de peixes, viveu na época do Triceratops e do T. Rex e, era mais parecido ainda com os pássaros modernos pois possuía bico), eram grandes, finos e afiados, utilizados para segurar sua deslizante presa, ou melhor, os peixes.Seu tamanho também era diferente dos pássaros actuais, pois, enquanto um gavião tem o tamanho de um computador, o Archepteryx tinha o tamanho de um homem alto. Devido ao fato de voar muito alto, era provável que este pássaro podia ter morado em árvores. Assim como o Archeopteryx, muitos dinossauros voadores possuíam ossos ocos nos seus membros. Isso os tornava mais leves para movimentar-se. Pesquisadores acham que os ossos ocos dos actuais pássaros são uma herança de seus ancestrais, os dinossauros. O animal fóssil mais famoso é o Archeopteryx. Viveu na mesma época que os dinossauros e é considerado a ave mais antiga que se conhece, embora também tivesse traços de réptil. Todos os esqueletos fósseis deste animal que foram descobertos foram encontrados em pedras calcárias de grão muito fino que conservaram maravilhosamente muitos fósseis, entre eles, os delicados ossos ocos do Archeopteryx e até as suas penas, que são uma característica fundamental da aves.Um grupo de répteis tinha se apoderado dos espaços aéreos. Eram os Pterossauros, entre os quais, o Pteranodon, com asas gigantescas de pele elástica como as dos morcegos, era o rei do voo planado das zonas costeiras. O seu aspecto original se devia à forma da cabeça: uma longa crista e um bico que, juntos, tinham o mesmo comprimento do corpo. Depois de levantar voo, o Pteranodon sobrevoava os mares em busca de alimento e tinha grande capacidade de voo planado, sem precisar bater as asas. O Pteranodon era um gigante voador. Os seus ossos eram finos e tinham espaços ocos que os tornavam mais leves, pois estes espaços eram preenchidos com ar. Os dedos das mãos estavam adaptados para sustentar a membrana da asa, fina e semelhante ao couro. O cérebro era grande e mais parecido com os das aves do que com os dos répteis.As primeiras vértebras das costas eram ligadas entre si formando uma só peça resistente que proporcionava um sólido ponto de apoio para os ossos do ombro. Estes se apoiavam em baixo no esterno, ou seja, o osso do peito. As costelas que saíam das vértebras também fechavam no esterno. Deste modo, o conjunto constituía uma armação rígida que suportava os poderosos músculos das asas. No Pteranodon, destaca-se o pequeno tamanho do corpo e das patas posteriores em comparação com o das asas e do crânio, com a sua longa crista. O pescoço era comprido e a cauda era bem pequena. Os braços se transformavam em asas providas de grandes músculos. Os três primeiros dedos da mão, relativamente curtos, terminavam em garras curvas e afiadas; o quarto dedo possibilitava o enorme alongamento da asa. A cauda era muito curta e terminava em dois ossos alongados em forma de varetas que provavelmente se inseriam na membrana das asas e poderiam servir para ajudar a controlar a direcção do voo.

Pteranodon

Pteranodon
Chegava a 2m de altura (quando de pé) e 8 m de Comprimento.

A Reprodução dos Dinossauros

Durante muito tempo esse assunto foi deixado de lado pelos paleontólogos, pois ao falar de reprodução é necessário falar-se de sexo. E sexo sempre foi um tabu. Mas hoje a mentalidade mudou e a reprodução dos dinossauros não só é discutida livremente como é um dos aspectos de sua vida mais estudados. É preciso entender que os dinos não eram monstros de outro mundo como apareciam nos filmes. Eles faziam as mesmas coisas que os animais de hoje: comer, beber, dormir, excretar, acasalar .
Todas as semanas novas espécies de dinossauros são descobertas e muitas apresentam estruturas estranhas que nem sempre podemos explicar. Cornos, espinhos, barbatanas, etc... Para todas essas excentricidades antigamente tínhamos uma única explicação: combate e defesa. Por exemplo, os cornos e gorjeias dos ceratopsianos durante anos foram tidas como armas para defendê-los dos tiranossauros. Estudos recentes revelaram que tanto cornos como gorjeias eram frágeis demais para essa função. Então para que serviam? A resposta é sexo!!!
É possível que essas estruturas fossem usadas para ornamentação e exibição durante a época de acasalamento. Os ceratopsianos poderiam exibir suas coloridas gorjeias para as fêmeas para atraí-las. Se um macho rival aparecesse seus cornos poderiam ser usados para combates ritualísticos.
Essa mesma explicação é aplicada por muitos especialistas para as placas dorsais dos estegossaurídeos, as cristas e barbatanas dorsais encontradas em muitos dinossauros.
Muitas das antigas teorias sobre o comportamento reprodutivo dos dinossauros foram postas abaixo com as novas descobertas dos cientistas. Antes acreditava-se que ao botarem seus ovos eles os abandonavam. Indícios provam que muitas espécies não só cuidavam dos ovos como dos filhotes depois de nascerem, alguns até por bastante tempo.
Acreditava-se que os dinossauros os carnívoros, como o tiranossauro, ao botarem seus ovos simplesmente os abandonavam à própria sorte. Indícios fósseis mostram que logo após o acasalamento, macho e fêmea construíam um ninho e ali eram colocados dúzias de ovos.
Provavelmente apenas 4 ou 5 nasciam e sobreviviam. Aos nascerem os bebês ainda eram pouco desenvolvidos, como foi mostrado por um achado de um tiranossauro recém- nascido. Quando nasciam eram muito pequenos e frágeis e durante algum tempo permaneciam no ninho. Os pais lhes traziam comida e com o tempo eles começavam a sair para caçar pequenos animais que encontravam, sempre com a supervisão dos pais.

segunda-feira, 24 de novembro de 2008

Tiranossauro Rex

Sem dúvida um dos mais famosos e temidos dinossauros foi o Tiranossauro Rex.
Quando foi descoberto o T.rex espantou os especialistas da época. Seu tamanho avantajado, suas mandíbulas gigantescas e seus dentes como punhais faziam desse animal uma visão impressionante. A primeira imagem que passou para os paleontólogos foi a de um animal poderoso, feroz e implacável, capaz de matar qualquer coisa viva que cruzasse seu caminho.
Segundo os cálculos feitos até então, o tiranossauro podia alcançar até 48 km/h (alguns cientistas discordam desse valor e dizem que ele podia alcançar até 60 km/h) quando corria, era portanto apto a caçar suas presas. Apesar disso, crêem-se ainda que o Tirannossauro fosse um animal necrofágo.
Se por um lado as pernas de um tiranossauro eram bem desenvolvidas e fortes, por outro lado seus braços eram fracos, pequenos e praticamente inúteis pois nem ao menos alcançavam a boca. Essa característica de possuir braços pequenos é comum também em alguns outros dinossauros da ordem carnosauria.
Os tiranossauros não viviam em bandos, é provável que somente o macho, a fêmea e os filhotes andassem juntos. O achado de um crânio de tiranossauro danificado comprova que deveriam ocorrer violentas batalhas por comida e pelo direito de se acasalar entre os indivíduos dessa mesma espécie.

Tamanho do Tiranossauro Rex em Relação a outros dinossauros

Tamanho do Tiranossauro Rex em Relação a outros dinossauros
Tiranossauro rex é representado pela cor azul..

Componentes do Grupo e alguns dados.

Blogger desenvolvido pelos alunos da 6º2 Manhã.
Escola Municipal Professor Otávio Batista Coelho Filho
Grupo:Linekeer Dias da Silva(Organizador)
Jair Pereira Júnior
E Hiago.